segunda-feira, 23 de maio de 2016

Não é paranóia




Vou parar de ficar assistindo filmes de terror durante a noite e vou explicar o porquê. Não tem nada a ver com pesadelos ocorridos durante o sono. Para falar a verdade, quase não tenho sonhos horríveis já faz um bom tempo. O problema é que ando tendo umas visões. Vejo coisas esquisitas em momentos inesperados, geralmente momentos que envolvem sexo, sabe? Isso já aconteceu diversas vezes, mas o mais frequente é durante relações sexuais.

Meus ex-namorados, tenho a nítida impressão, me largaram porque acharam que eu era maluca. Isso mesmo, mas sou totalmente contra a essa atitude deles. Não sou maluca, tenho somente um sensor para detectar coisas estranhas. Qualquer coisa anormal, tipo um som que sai de uma coisa que não deveria transmitir som, para mim é coisa paranormal, assombrosa e que deve ser analisada detalhadamente. Mas tenho certeza que eles acham que deve ser doidice da minha cabeça. Mas estou sendo sincera, eu já vi coisas estranhas. Toda vez que estou transando com alguém, isso acontece. É uma sensação de que tem alguém nos espionando, sabe? Fico incomodada. Da última vez que isso ocorreu foi quando estava na casa do Lucas. Estava tudo na boa. Nos beijávamos, nos abraçávamos e trocávamos carícias. Ele massageava minhas partes íntimas e eu as dele. No momento da transa, na qual eu estava sentada no seu colo me requebrando toda, vi, por meio do reflexo do espelho que estava a minha frente, a imagem de um garoto com a cara marcada. A criatura era pequena, do tamanho de criança. Naquele momento não consegui adivinhar o que diabo era aquilo. Mas hoje juro por Deus que era o Chuck, o boneco assassino. Tinha certeza que era ele. No momento que o vi, falei para o Lucas que tinha visto alguma coisa mal assombrada. Imediatamente ele se irritou e pediu para que eu parasse com isso, pois ele não gostava. Falei que estava falando o que eu achava que vi e se ele não gostava do meu comportamento era melhor eu dá o fora dali. Ele simplesmente disse que era melhor mesmo eu dar o fora da casa dele, porque já estava se aproximando da hora dos seus pais chegarem e ele não queria encrenca. Me arrumei e saí para a minha casa, sem muito menos sentir o gosto do orgasmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger