quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Está tudo acabado




"Meu namorado não gosta de andar de mãos dadas comigo. Não sei qual é o problema dele. Não sei se é vergonha de mim. Não sei se é vergonha dele mesmo. Não sei se é vergonha de ficar chamando a atenção por aí. De uma coisa eu sei: meu namorado não gosta de passear comigo de mãos juntas. Já tentei induzi-lo algumas vezes. Mas o desobediente sempre diz não."

- "Não, eu não tô afim de fazer isso hoje, nem amanhã e nem depois de amanhã, nem depois, depois e depois e... nem depois..."-
"É o que me acostumei a ouvir. Confesso que fico irritada com esse modo usado por ele pra falar comigo, como se tivesse autoridade", pensa a garota.
- Mas porquê?-
"É o que sempre pergunto. A resposta nunca muda de palavras:"
- Porque não!- percebe como ele fica irritado? Pois é assim que o rapaz sempre fica, irritado.
- Essa não é uma resposta adequada.
"Não posso baixar a guarda, se perco a guerra"
- Ah, me deixa!
- Responde direito, rapazinho. Anda, responde.
"Eu não desisto, pois sou brasileira", pensa a jovem.
- Eu respondo do jeito que eu quiser-
"Odeio quando ele fala nesse tom. Me dá uma vontade tremenda de largar a mão na cara dele."
- Você larga de ser ignorante, seu ignorante.
- Foi você que começou. Agora aguenta.
- Eu não comecei nada, seu idiota!
- Você ainda me chama de ignorante? Tu parece que é mais do que eu!
- Foi porque você me obrigou a ficar desse jeito ignorante. Você foi ignorante primeiro, me tratando com desobediência.
- Mas foi porque você me provocou, me obrigando a ser ignorante com você. Não tenho culpa de nada.
"Como eu queria dar uma mãozada na cara desse filho de uma égua!"
- Olha, presta bastante atenção: a única coisa que eu quero neste momento é que você me diga, com a maior sinceridade, o motivo pelo qual você não gosta de andar de mãos dada comigo. Anda, me diga.- a garota fica exigente.
- Eu não vou dizer porcaria nenhuma, marmota!
A jovem dá um tapa na cara dele, fazendo com que o rosto do rapaz ficasse todo vermelho. A garota não se arrependeu e ficou ali, com a expressão de atrevida e triunfante, olhando para o rapaz que, depois da bofetada, estava paralisado.
- Você é doida?- perguntou.
- Porque eu seria?
- Você me deu um tapa, do nada.
- Tive meus motivos. Você me obrigou.
- Só porque eu não te disse o porque de eu não gostar de andar de mãos dadas? 
- Não, foi pela forma que você falou comigo. Me tratou com muita ignorância pro meu gosto, rapazinho.
- E isso justifica?
- Eu disse pra você que era chata, muito chata. Agora aguenta.
- Não vou aguentar nada.
- Vai querer terminar?
- Com certeza.
- Pois está acabado.
- Beleza.
- Beleza.
E foi assim que acabou esse relacionamento. Cada um foi para um lado. Cada um seguiu seu rumo. Cada um foi procurar novas felicidades para sua vida. Pois é desse jeito que funciona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger