quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Porque não agora?




- Suelen?
- O que é?
- Você não vai acordar hoje, não?
- Eu já estou acordada amor, não está vendo. Se estou falando com você é porque estou acordada, ora bolas...
- Sim, meu amor, eu sei que você está acordada. Desculpe. Eu me expressei mal. Queria saber se você não vai se levantar hoje.
- Hoje não tem trabalho, amor. Hoje é Sábado, se esqueceu?
- Não, sei muito bem que dia é hoje.
- Então cala essa boca e dorme, porra.
- Não senhora, eu quero que você se esperte.
- Pra quê? O que é que tem de bom para fazer agora de manhã?
- Tem muitas coisas, amor.
- Exemplifique, por favor.
- Ah, sei lá...
- Ora bolas...
- "Ora bolas" o quê?
- "Ora bolas" significa esse teu "sei lá" que me estressa toda vez que eu escuto.
- Tô apenas brincado...
- Brincando de me irritar em plena manhã de Sábado?
- Simmmm!
- Para de ser ridículo, amor.
- Eu te amo.
- Vamos, Mateus... Me diz logo o que você quer ou pretende fazer agora de manhã, para você me acordar justamente essa hora. Que horas são mesmo?
Suelen estica o braço direito e com ele pega seu celular, que está em cima da cômoda ao lado da cama.
- Olha Mateus, ainda não deu nem seis horas da manhã. É muito cedo para fazer alguma coisa.
- Mas o que eu quero fazer com você é uma coisa que pode ser feita a qualquer hora do dia e em qualquer lugar, desde que não tenham pessoas observando. Quer dizer, se você se sentir envergonhada com elas. Caso contrário, pode-se fazer isso em público, amor.
- Mas do que diabo você está falando?
- De sexo!
- Pelo amor de Deus... Vai dormir, Mateus...
- Droga...
Passados alguns minutos...
- Suelen... Suelen... Suelen...
- O que foi Mateus?
- Você não acha que já está na hora de acordar?
- Como disse anteriormente, eu estou acordada. Não vê que estou falando com você. O que deu em você hoje? Tô te achando tão... burro, idiota. O que está acontecendo com você? Bateu com a cabeça ontem?
- Onde?
- Pelo amor de Deus...
- "Pelo amor de Deus" o quê?
- Mateus, vai dormir, vai, meu bezinho. Estou muito cansada hoje. Trabalhei como uma condenada ontem na escola. Tive que corrigir muitos trabalhos, atividades e provas, quando cheguei em casa. Meu cérebro está de ressaca, sabe? O pobre coitado só quer descansar um pouquinho mais, amor. Me deixa dormir mais um pouco, vai?
- Amor, meu querido amor. O grande amor da minha vida. Minha deusa repleta de luz. Luz esta que irradia não apenas luz, mas também, e principalmente, amor, paz e alegria...
- Fala logo, Mateus.
- Sim. Desculpe, amor. Não quero te estressar...
- Pelo amor de Deus...
- Tá bom, tá bom... É que eu queria te dizer que, se fizermos sexo agora, você poderia se sentir relaxada e mais disposta. Estou querendo apenas te ajudar, nada mais do que isso.
- E a gente não transou ontem?
- É, isso é verdade... Mas...
- "Mas" você é um insaciável, não é verdade?
- Ôh! meu amor, vamos fazer sexo, vai? Você vai se sentir muito bem, pode ter certeza.
- Não.
- Por que não?
- Por que não e pronto. Por que quem manda na cama sou eu.
- Nossa! Eu não estava informado sobre isso. Quer dizer, sobre esse seu decreto.
- Pois agora fique sabendo. Se você quer fazer sexo comigo, vai ter que ser um pouco mais paciente e esperar que eu acorde muito mais disposta do que estou agora.
- Amor...
- O que foi, Mateus?
- Eu te amo
- Eu também te amo.
- Eu te amo mais ainda.
- Ahhhhh! Pelo amor de Deus, isso não vai me obrigar e muito menos me estimular a transar com você agora, Mateus
- Desculpa.
- Está desculpado. Agora trate de tentar dormir um pouco, que eu só vou me levantar depois das nove. Depois das nove a gente conversa sobre isso, está bem?
- Está bem.
- Pois durma.
- Eu vou fazer isso.
- É bom mesmo.
Mateus tentou dormir, mas a ansiedade e a ideia de ter uma sessão de prazer com sua bela esposa impediram que o rapaz no mínimo cochilasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger